28.  A criação de animais em pastos impróprios para a agricultura aumenta  a disponibilidade de alimentos;  como alguém pode ser contra isso? 

Há áreas no mundo onde a criação de gado é possível mas a agricultura não é. Se as condições fossem tais que as pessoas não pudessem comprar as colheitas de outros lugares e precisassem criar gado para sobreviver,  poucos questionariam essa pratica.  No entanto, tais áreas são bem poucas e pequenas em comparação com as regiões férteis e semi-áridas que são na realidade usadas para criação de  gado intensivo, e essa produção não contribui significativamente para o abastecimento mundial. (Algumas pessoas argumentariam que é moralmente  preferível não viver em tais áreas).  Na verdade, o erro é a criação de gado em regiões de solo fértil ou semi-árido. O uso de tais áreas para a criação de gado reduz o abastecimento 
mundial de alimentos. Keith Acker escreveu em seu livro "A Vegetarian  Sourcebook": 

Terra, energia e recursos hídricos necessários à pecuária variam de 10 a  1000 vezes mais do que o necessário para produzir a quantidade equivalente de alimentos vegetais. E a criação de gado não apenas utiliza toda essa quantidade, como também esgota esses recursos. Basta verificar os dados  históricos. A maior parte da erosão do solo, esgotamento dos recursos hídricos e desmatamento – fatores que ameaçam a base do nosso sistema alimentar – são resultados dessa forma especialmente destrutiva de produção  de alimentos. 

A criação de gado também é a grande causa da derrubada de arvores tanto  historicamente como atualmente (entre 1967 e 1975, dois terços dos 70 milhões de acres de florestas derrubadas foram utilizadas para pecuária). 

Entre 1950 e 1975 a área de pasto criado por mãos humanas na América Central mais que duplicou e quase tudo à custa das florestas tropicais. Embora essa tendência tenha diminuído, ainda continua à taxas alarmantes 
de forma ininterrupta. 

A pecuária requer grandes áreas de pasto e a conseqüência dos excessos e  erosão do solo são problemas ecológicos muito sérios. Em estimativas otimistas, 60% do pasto nos EUA é excessivamente utilizado, resultando em  bilhões de toneladas de solo perdido a cada ano. A quantidade de terra fértil  perdida até hoje está em cerca de 75%, e destes, 85% está diretamente associada com a criação de gado. A criação de gado em pastos é a maior causa dos desertos criados pelo homem. 

Algumas pessoas poderiam dizer que a criação em pasto tem sido  substituída pelo paradigma de "área de engorda". Esses sistemas levam o gado para uma área de engorda com alimentação à base de grãos. Embora 
isso de fato reduza a área de pasto, não a elimina completamente, e o  esquema de área de engorda ainda constitui um uso totalmente ineficiente das áreas de cultivo (para alimentar um humano com carne requer 16 vezes a mesma quantidade em grãos que seriam necessários se consumidos  diretamente). Estimativas indicam que nos EUA, 80% do milho e 95% da aveia produzida é para alimentar o gado. 
TA 

Eu cresci em uma fazenda de gado – por isso que tornei vegetariana. A  carne não presta para os animais, nem para o meio ambiente e nem para a sua saúde. 
k.d. lang (música) 

Deixe seuComentário