Palestras sobre Alimentação “VIVA” no I Congresso Vegetariano Brasileiro e Latino Americano realizado em agosto de 2006 na cidade de São Paulo.

A alimentação “VIVA” constitui-se na ingestão de alimentos do Reino Vegetal crus, sendo que as sementes são utilizadas em processo de germinação. As irmãs Branco, a Dra. Maria Luiza e a Prof. Ana Branco tem demonstrado, de maneira prática e construtiva e através de um processo de convivência interdisciplinar muito sensível e peculiar, que a alimentação “VIVA” é capaz de transmutar a doença em saúde, a tristeza em alegria e o desamparo em esperança.

Cerca de 10 anos de práticas direcionadas à promoção desta maneira de se alimentar trouxeram inúmeras experiências comoventes aos participantes-alunos dos trabalhos liderados pelas irmãs:

“Não é somente uma forma de se alimentar sem o uso do fogo, a alimentação “VIVA” acaba por tornar-se mais que isso, ao plantarmos nossas sementes, ao vê-las brotando e crescendo, participamos de um processo que antes não participávamos e isso muda todo o contexto. A nossa visão acaba por tornar-se mais ampla e entramos em contato com a Natureza de uma nova maneira, mais contemplativa”, disse uma das voluntárias do ‘Biochip’ que após as palestras, servia um taça de conteúdo verde aos participantes.

“Não contém água, são verduras e ervas batidas com maçã e sementes germinadas, gostou? É doce e purifica até nossa alma”, completou outra voluntária.

 

Deixe seuComentário