Escrita na varanda.

Em guardanapos

Pela dupla caipira Isa & Mara

 

Ó querido Cacupé!

Aqui eu finquei meu pé!

Na varanda um bom café

Na casinha de Mané

Só silêncio, só beleza

No meio da natureza!

 

Aqui não tem caminhão

Também não passa avião

Só tem muito passarinho

Piando e chegando pertinho

Dando mergulho rasante

Entre a mata verdejante.

 

Beija-flor beijando a flor

Borboleta colorida

Isso sim é que é vida

Cheia de paz e de amor!

 

Não tem cheiro de poeira

Muito menos gasolina

Não tem grito nem buzina

Nem pressa, nem correria

Tem é muito bananeira

Muito passeio gostoso

Muito sol esplendoroso

E o frescor da chuva fina.

 

Da varanda vejo o mar

Nuvens, montanhas, ilhas

Cheias de maravilhas

Tranqüilas a me esperar

Aqui só falta um chamego

O que tem de sobra é sossego

E praias pra caminhar.

 

O mar é manso, a onda é calma

A gente lava até a alma

Quando vai fundo nadar!

Floripa, querida ilha

Que guarda essa maravilha

Pra quem sabe aproveitar!

 

O mar tem pedras redondas

Até elas são suaves

Nelas vêm pousar as aves

As gaivotas janotas

Em seu passeio nas ondas.

 

No mar não tem tubarão

Nem corrente ou vagalhão

Tem golfinhos bonitinhos

Que vão dando seus pulinhos

Quase vêm comer na mão!

 

Ficou pra trás a cidade

Com toda a sua maldade

Abriu-se um mundo feliz

E pra falar a verdade

É a vida que eu sempre quis!

 

Os vizinhos são bonzinhos

Alegres são as crianças

Com ingênuas brincadeiras

Trepando nas goiabeiras

Colhendo fruta do pé

Tão esperta a cachorrinha

Brincando com sua bolinha

Vem me fazer cafuné

 

Não é sonho, é realidade

Amigo, diz a verdade,

Tem maior felicidade

Que morar em Cacupé?

 

Não tenho motivo de queixas

Da vizinhança daqui

No meu vizinho da esquerda

Só Pink Floyd e Raul Seixas,

E à direita, a Marly!

 

O silêncio é um tesouro

O mais valioso do mundo

À noite o silêncio é profundo

Só o chiado da cigarra

Os grilos fazendo farra

Com seu barulhinho manso.

Esse suave zumbido

É benção pro meu ouvido

Traz um profundo descanso!

 

De dia um galo cantando

Folia da passarada

Depois, silêncio outra vez.

Pausa pra respirar.

Sopra uma brisa suave

Folhas a farfalhar…

O coração agradece

A alma até se engrandece

É benção pro meu olhar!

 

Em casa a simplicidade

Conduz à felicidade

À moda do Cacupé

Descalça pelo caminho

Em casa o chão bem fresquinho

É benção para o meu pé!

 

Na hora do almoço um ranguinho

Feito com muito carinho

Pela Kátia no seu lar

Arroz integral e verduras

Comidas simples e puras

A benção pro paladar!

 

A borboleta amarela

Que vejo pela janela

Já me enche de alegria

Não tem nada tão bonito

Como acordar todo dia

E sentir a suave energia

Deste lugar bendito!

 

Eu amo essa linda casinha

Sempre quis que fosse minha

Desde que a conheci

Tomando suco de uva

Ouvindo cantar a chuva

Sou muito feliz aqui!

 

De noite o céu é azul

E a lua brilha bem forte

O Brasil aqui no sul

É mais sereno, e mais doce

E pra mim ele trouxe

Muita paz e muita sorte!

 

Cacupé, 10 de março de 2003

 

 

Deixe seuComentário